sábado, 28 de fevereiro de 2015

CISMA E SUAS MEDIDAS 1

CISMA E SUAS MEDIDAS 1


  Antes de qualquer exposição da matéria abaixo, quero deixar claro que o fato de eu comparar períodos de tempo, não quer dizer que condeno este ou outro qualquer sistema religioso, o fato aqui é apenas apresentar que Deus esta no controle de tudo. Muitas vezes aparecem pessoas que dão testemunho contrario ao que um escritor tentou apresentar no seu trabalho, temos muitos casos na literatura brasileira como na literatura  institucional Adventista, mas nem por isto, devemos para de publicar assuntos que possa auxiliar as pessoas de mentes claras e preparadas para receber informações que podem advertir ou orientar. Entre os livros que já resultou em interpretações contraditórias está a bíblia, nem por isto vamos deixar de anunciar e publicar seu conteúdo.

Este Mundo sempre é e será aquilo que as medidas apresentam, Deus esta no controle de tudo, no que diz respeito também aos limites da história humana, e porque não estaria planejando um limite para o fim de todas as coisas?

Assim antes de definir um limite final, Ele esta apresentando neste espaço que tem um limite para as verdades da história.
 
Hoje irei falar sobre cismas e suas medidas comparando períodos e semelhanças como


Ano 70 destruição do Templo de Jerusalém.

Ano 1379 cisma na Igreja Católica no desfecho de 70 anos de cativeiro de Avgnon França.

Ano 1917 cisma na Igreja Católica Ortodoxa Russas.







Ano 70 à Saída.

A cidade de Jerusalém foi destruída pelos romanos em 70 d.C. O cerco e a queda de Jerusalém são descritos com pormenores gráficos pelo  historiador judeu do primeiro século, Flávio Josefo, no livro Guerras dos Judeus, que foi publicado cerca do ano 75 d.C. De acordo com os Evangelhos, Jesus profetizou este evento aproximadamente no ano 30 d.C.

Segundo Josefo: “Ora, o número daqueles que foram levados cativos durante toda esta guerra foi verificado ser noventa e sete mil, como foi o número daqueles que pereceram durante todo o cerco onze centenas de milhares, a maior parte dos quais era na verdade da mesma nação, porém não pertencentes à própria cidade, pois tinham vindo de todo o país para a festa dos pães asmos e foram subitamente fechados por um exército...” (Guerras, livro 6, capítulo 9, seção 3).

Podemos dizer que no ano 70 d. C. se deu o cumprimento de uma profecia, e o cativeiro de milhares. Os judeus cristãos estavam nesta ocasião já fora da cidade nos montes próximos. Assim ocorre com inúmeros períodos da história, aqueles que vivenciam estas etapas da história quase sempre foram advertidos para atentar para os sinais destes eventos próximos pela palavra de Deus.

Ano 1379 o grande cisma.




O grande cisma do Ocidente e o grande cisma do Oriente
Houve o grande cisma do Ocidente, entre 1379 e 1417, período em que a Igreja Católica se dividiu em duas facções, uma delas fiel ao papa de Roma e a outra sob o comando de outro papa, sediado em Avinhão (Avirgon), na França.


Ano 1917 o cisma Ortodoxo.


A cisão entre as duas Igrejas ortodoxas ocorreu depois da revolução comunista de Outubro de 1917 da Rússia, quando as autoridades declararam o ateísmo como ideologia oficial e desencadearam uma perseguição implacável contra as religiões existentes no país.

Em 1917, o primeiro exarcado apostólico para os greco-católicos russos foi criado, com a nomeação do Reverendo Leonid Feodorov, um ex-seminarista ortodoxo russo, para o cargo de exarca apostólico. Porém, os bolcheviques da Revolução de Outubro (1917) perseguiram logo os católicos russos, aprisionando muitos deles nos campos de concentração localizados na Sibéria ou forçando-os a emigrarem para os países ocidentais