quarta-feira, 4 de junho de 2014

MEDIDAS DA HISTÓRIA RELIGIOSA.

 
 
 
 


Não vou aqui contar toda história acho sem sentido fazer, apenas apresentar dois pontos importantes da história
Os visigodos foram um de dois ramos em que se dividiram os godos, um povo germânico originário do leste europeu, sendo o outro os ostrogodos. Ambos pontuaram entre os bárbaros que penetraram o Império Romano tardio no período das migrações.-  Os visigodos prestaram uma ajuda eficaz a Roma até 395, quando começaram a mudar-se para oeste. Em 401, chefiados por Alarico I, que rompera com os romanos, entraram na Itália e invadiram a planície do Pó, mas foram repelidos. Em 408 atacaram pela segunda vez e chegaram às portas de Roma, que foi tomada e saqueada em 410
A igreja de Roma se sentia lesada, e nem poderia ser diferente. mas a história mudou para o lado deles:
A conversão de Clóvis, rei dos francos, foi um evento muito significativo em prover a unificação da Europa Ocidental para apoiar o papado durante a primeira metade da Idade Média. E a guerra de Clóvis contra os visigodos arianos e sua vitória sobre eles em 507-8, representa uma faisca  importante inflamar o exército efetivo para a Igreja Católica Romana punir os “hereges”, e a cultura religiosa do Islã.

AS CRUZADAS
A Igreja de Roma tinha motivos suficientes para tomar uma atitude assim que a possibilidade ocorresse. A conversão de Clovis foi uma faísca que estes precisavam cultivar com galhos secos para assim se proteger e estabelecer no poder em definitivo.
As cruzadas foram expedições militares formadas por cavaleiros e comandadas por nobres, príncipes e reis cristãos europeus entre o século XI e XIII. Oficialmente, seu objetivo era propagar o cristianismo, combater os muçulmanos e cristianizar os territórios da Ásia Menor (região da atual Turquia) e a Palestina, ocupados por tribos turcas, mas as motivações eram políticas e econômicas.
   A primeira das oito cruzadas ocorre entre 1096 e 1099 e é um grande sucesso. Após caminharem 3 mil quilômetros, as tribos cristãs convocadas pelo papa Urbano II conquistam Jerusalém. Mas, no século seguinte, os muçulmanos retomam a cidade santa, e os cruzados começam colecionar derrotas. Uma das mais trágicas é a das Cruzadas das Crianças, de 1212, quando milhares de adolescentes são enviados à guerra e acabam sendo massacrados. Você diria hoje que seria falta de responsabilidade enviar uma criança para guerra? Sim sempre foi.